Centro Universitário FMU oferece à sociedade uma educação superior acessível e de alta qualidade.

MISSÃO

  • Promover Educação Superior acessível e de excelência para a formação de profissionais éticos, cidadãos comprometidos com a construção de uma sociedade sustentável e preparados para o Mundo do Trabalho.

PILARES

  • Excelência no Ensino
  • Infraestrutura e Inteligência Operacional
  • Excelência nos Serviços Estudantis
  • Geração de Empregabilidade ao Aluno
  • Gestão por Processos

Depoimentos

Posts Recentes

Como eu sei se devo fazer psicologia?

Para saber e reforçar o seu desejo em fazer psicologia ou não, existem algumas coisas que você precisa saber, para entender se vai amar o curso, ou nem tanto assim.

Esse artigo é bem realista, e vai te fazer entender as coisas boas e ruins de seguir nessa área, que é maravilhosa por si só, pelo fato de compreender parte do comportamento humano, mas sempre tem aquela expectativa que acaba sendo quebrada pela realidade.

Sabemos que a faculdade nem sempre é o que a gente espera, e por esse motivo muitas pessoas desistem de vários cursos. 

Mas para saber se você deve ou não fazer psicologia, continue lendo para saber se está no lugar certo.

Fonte: https://wecareon.com/o-que-faz-um-psicologo-clinico/

Conheça os cursos da FMU! Clique aqui e saiba mais: https://fmu.minhagraduacao.com.br/

Psicologia é só terapia?

Grande parte dos alunos entram no curso pensando em ser terapeuta. Montar consultório, atender pacientes que precisam de ajuda psicológica, fazer anotações, etc. 

Essa é a visão que a maioria das pessoas tem sobre o psicólogo.

Logo é o que esperam que a profissão seja. Mas ao entrar no curso, você descobre que o trabalho do psicólogo vai muito além.

O psicólogo pode trabalhar com mentoria, dar palestras, trabalhar com recrutamento e seleção, dar laudo jurídico e até ser coaching. 

As áreas são várias por isso você pode se identificar com uma diferente da terapia.

A terapia é um dos caminhos, e é de longe o mais difícil. 

Muitas pessoas saem da faculdade e montam consultório para começar atendimento, mas leva tempo até a coisa engrenar. Isso devido à concorrência, o nome e a falta de aprender marketing na faculdade.

A psicologia é cheia de teorias

No campo da física, até duas teorias podem ser usadas para explicar uma qualidade ou particularidade de partículas, por exemplo, na psicologia não. 

Se decidir fazer psicologia saiba que terá que competir para explicar suas teorias.

Dentro dessa área, as teorias são duas ou mais (e até muito mais), para explicar determinado assunto, característica e comportamento, por exemplo.

Isso porque a mente humana é muito mais complicada, difícil de ser examinada, medida e isso ramifica enormemente para teorizar e dar explicações. 

O que deixa a aula mais rica, mas também cheia de discussões.

Ao fazer psicologia, saiba que é a ciência que pode filtrar ideias, colocando teorias à prova através de experimentos sem base real. Mas até nisso as teorias discordam.

Para alguns ela nem é considerada uma ciência, para outras é mais rígida que a matemática. 

E essas diferenças separam alunos que se dividem entre a psicanálise, o humanismo, o behaviorismo, etc.

Fonte: https://portalpsicologia.com.br/artigos/a-libido-segundo-a-psicanalise-de-sigmund-freud

Tem papo de política também

Como a psicologia fala de comportamento humano, é bastante comum que os professores falem de política para explicar alguns assuntos. 

E ao fazer psicologia, você aprende a tratar desse assunto com naturalidade, o que é bem difícil para algumas pessoas, principalmente dentro do ambiente científico.

A própria teoria que explica a inclinação política, e com isso é preciso ficar atento ao que é descrito como opinião e o que é fato. São ótimos momentos para aprender a ligar o senso crítico e não concordar com tudo.

Mesmo concordando com o assunto, ou a opinião, você aprender a não ter a mente alienada só pelo que quer ouvir.

Tem matemática

Muitas pessoas escolhem fazer psicologia achando que não terá nenhum tipo de cálculo por simplesmente odiar exatas, então fica o aviso, você vai aprender estatísticas.

Em praticamente todos os casos e pesquisa da área são feitas com base na análise de estatísticas, mesmo que apenas para medir algum impacto na qualidade de vida de um grupo de pessoas, por exemplo.

Como a psicologia tem um lado muito subjetivo, os números são necessários para entender alguns casos. E o único jeito de descobrir algumas coisas, como os tipos de técnicas que funcionam quais práticas, o que falha, tudo isso precisa ser comparado, gera dados, que gera tabelas e formam estatísticas.

Porém, estatísticas não é um bicho de sete cabeças, principalmente se você aprender desde o começo. Dá para aprender tranquilamente. E para quem quer se aprofundar ainda mais, existem laboratórios para isso.

A área está saturada?

Essa é uma dúvida comum de quem quer fazer psicologia, e segundo a Organização Mundial da Saúde, que fez um ranking em 2005, onde o Brasil estava entre os países que mais tinham psicólogos no mundo quem ficou em primeiro lugar foi a Argentina.

Hoje, o site oficial do CRP (Conselho Regional de Psicologia) diz que no Brasil existem 284 mil profissionais, sendo 141 psicólogos para cada 100 mil habitantes. Esse número é maior que qualquer outro país na Europa.

Esse dado tem um lado positivo para quem quer fazer psicologia, que é a visibilidade da profissão. Já que as pessoas verão placas de consultório em vários lugares e com isso podem perder o medo da terapia.

Por outro lado, é um mercado um tanto saturado, por isso, é preciso se destacar no meio para ter algum sucesso. Se está pensando em fazer psicologia então é preciso pensar bastante nisso.